38 – Perante o Tempo

Em nenhuma condição, malbaratar o tempo com polêmicas e
conversações estéreis, ocupações fantasistas e demasiado divertimento.
Desperdiçar tempo é esbanjar patrimônio divino.
*
Autodisciplinar-se em todos os cometimentos a que se proponha, revestindo-se do necessário discernimento.
“Fazer muito” nem sempre traduz “fazer bem”.
*
Fugir de chorar o passado, esforçando-se por reparar toda ação menos correta.
O passado é a raiz do presente, mas o presente é a raiz do futuro.
*
Afastar aflições descabidas com referência ao porvir, executando honestamente os deveres que o mundo lhe designa no minuto que passa.
O “amanhã” germinará das sementes do “hoje”.
*
Quanto possível, plasmar as resoluções do bem no momento
em que surjam, de vez que, posteriormente, o campo da experiência pode modificar-se inteiramente.
Ajuda menos, quem tarde serve.
Ainda que assoberbado de realizações e tarefas, jamais descurar o bem que possa fazer em favor dos outros.
Quando procuramos o bem, o próprio bem nos ensina a encontrar o “tempo de auxiliar”.
*
“Ainda não é chegado o meu tempo, mas o vosso tempo
sempre está pronto.”

Jesus. (JOÃO, capítulo 7, versículo 6.)

Páginas: 1 2

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

Crie seu site com o WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto: